Instituições católicas guiam o caminho no maior anúncio conjunto de desinvestimento em combustíveis fósseis

Novembro 15, 2020

Mais quarenta e sete comunidades de 21 países se comprometeram a desinvestir em combustíveis fósseis.

À medida que a crise climática se intensifica em todo o mundo, muitos dos governos mundiais continuam a se agarrar às fontes de energia do passado.

Mas as instituições religiosas em todo o mundo não estão esperando por mudanças. Elas estão se comprometendo com um futuro mais claro e mais limpo.

Na segunda-feira, 47 instituições religiosas de 21 países anunciaram seu compromisso de desinvestimento em combustíveis fósseis. As instituições católicas, protestantes e judaicas constituem o maior desinvestimento conjunto de combustíveis fósseis.

Juntos, elas estão agindo de acordo com seus valores e mostrando ao mundo mais uma vez que as instituições religiosas estão comprometidas com um futuro mais seguro impulsionado pela economia de energia limpa.

Inger Andersen, Diretor Executivo do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente e subsecretário-geral das Nações Unidas, disse: “O poder econômico das religiões, voltado para investimentos responsáveis e a economia verde, pode ser um grande impulsionador de mudanças positivas e uma inspiração para outros, à medida que reconstruímos melhor.”

A pressão de investidores religiosos e outros atores expôs a fraqueza inerente da indústria de combustíveis fósseis, com a Royal Dutch Shell agora citando o desinvestimento como um risco material para seus negócios.

As instituições católicas representam 42 dos 47 compromissos do anúncio de segunda-feira. Estão incluídas a Comissão das Conferências Episcopais da União Europeia (COMECE), Caritas Ásia, e a Associação dos Padres Católicos dos EUA. Confira aqui a lista completa das instituições participantes.

“Encorajamos outros a se juntarem a nós na tomada de medidas concretas para resolver a crise climática.,” disse Pe. Manuel Enrique Barrios Prieto, Secretário-Geral da COMECE. “Resolver a crise climática protege a família humana dos perigos de um mundo em aquecimento, e uma ação decisiva é necessária agora mais do que nunca.”

O Papa Francisco recentemente exortou todas as organizações católicas a desinvestir de empresas que “não cumprem os parâmetros da ecologia integral” e investir em organizações que priorizam “a sustentabilidade, a justiça social e a promoção do bem comum.”

Sua Santidade convocou a conferência “Economia de Francesco” esta semana que irá explorar ainda mais as formas inovadoras que os católicos estão desenvolvendo uma economia sustentável.

Em junho, o Vaticano encorajou todos os católicos a desinvestirem em combustíveis fósseis como parte de seu primeiro documento de diretrizes operacionais sobre ecologia.

Clique aqui para ler mais sobre o anúncio, e clique aqui para ler mais sobre as instituições católicas se comprometendo a desinvestir.