As primeiras dioceses católicas na Inglaterra a desinvestirem em combustíveis fósseis

Janeiro 6, 2020

Participantes na conferência para religiosos sobre desinvestimento no Centro Jesuíta de Londres em fevereiro de 2019 (crédito da foto: Bernadette Kehoe / Conferência dos Religiosos)

As Dioceses de Middlesbrough e Lancaster anunciaram hoje o seu compromisso com desinvestir em combustíveis fósseis, tornando-se as primeiras dioceses católicas na Inglaterra e Gales a desinvestirem. O anúncio de seu desinvestimento foi realizado junto a duas ordens católicas – as Províncias Inglesas da Congregação de Jesus e das Irmãs da Apresentação – ao lado de outras dezesseis igrejas e instituições cristãs locais no Reino Unido.

Elas agora fazem parte de mais de 160 outras instituições católicas que já se comprometeram a desinvestir em combustíveis fósseis. As insituições religiosas são o maior número de entidades contribuindo com o movimento de desinvestimento em combustíveis fósseis – que agora já alcança mais de US$12 trilhões no valor de instituições de desinvestimento.

Esse anúncio é feito na solenidade da Epifania e no início de 2020 – um ano chave para a ação climática global, e especialmente crucial para a ação climática no Reino Unido com a conferência COP26 que será realizada em Glasgow em novembro de 2020.

Em setembro de 2018, o Secretário Geral da ONU, António Guterres, disse: ‘Mudança climática é a questão definitiva para o nosso tempo – e estamos em um momento definitivo. Enfrentamos uma ameaça existencial direta… Se não mudarmos a direção até 2020, arriscamos perder o ponto em que podemos evitar mudanças climáticas irreversíveis, com consequências desastrosas para as pessoas e todos os sistemas naturais que nos sustentam.’

Na mensagem pontifícia aos governos no encontro em Madri na COP25 do mês passado, o Papa Francisco falou que a emergência climática é um ‘desafio de civilização’ que precisa de ‘uma vontade política clara, clarividente e forte, determinada na busca por um novo caminho que almeje focar os investimentos financeiros e econômicos às áreas que realmente resguardam as condições para uma vida digna da humanidade em um planeta saudável para hoje e amanhã.’ Para essas instituições católicas, a resposta ao chamado papa, especialmente à luz da Laudato Si’ em 2015, tem tido um compromisso de desinvestir em combustíveis fósseis.

Ao anunciar a decisão de desinvestir, Dom Terry Drainey, o bispo de Middlesbrough, disse: ‘Com a crescente conscientização da preocupação das pessoas pelo cuidado com a nossa casa comum, apoiado pela Administração e pelo Conselho de Sacerdotes da Diocese, e após uma análise minuciosa dos investimentos diocesanos e com o apoio da Operation Noah, a Diocese de Middlesbrough decidiu que agora é o momento para desinvestir em combustíveis fósseis. As evidências e a urgência da crise climática estão por todos os lados. Contudo, como o Papa Francisco evidencia claramente em sua Carta Encíclica sobre o Cuidado com nossa Casa Comum, Laudato Si’, nada será exitoso se não começarmos pela conversão pessoal, uma mudança de estilo de vida, uma mudança de mentalidade.’

James Buchanan, Gerente da Campanha Bright Now para a Operation Noah, disse: ‘Estamos muito satisfeitos que as dioceses de Middlesbrough e Lancaster tenham decidido desinvestir em combustíveis fósseis, além de mais duas ordens religiosas católicas. Esperamos que muitas outras instituições católicas se juntem a eles para dar esse passo profético por amor à criação de Deus e aos mais afetados pela crise climática – especialmente aqueles que vivem nas comunidades mais pobres do mundo.’

Instituições católicas em todo o mundo são convidadas a participar de um anúncio de desinvestimento global para instituições religiosas coordenado pelo Movimento Católico Global pelo Clima, Green Anglicans, GreenFaith e Operation Noah. O anúncio irá coincidir com a conferência Economia de Francisco em Assis nos dias 26-28 de março de 2020.