No TED Countdown, Papa Francisco pede desinvestimento em combustíveis fósseis

Outubro 22, 2020

Foto cortesia de TED

O Papa Francisco exortou todas as pessoas e organizações a construir um futuro mais vivificante por meio de “ações concretas e inadiáveis” e a se livrar dos combustíveis fósseis durante sua recente palestra no TED Countdown.

A criação precisa desesperadamente de nosso amor, como testemunhado através dos incêndios recordes na América do Norte e do Sul, secas severas mais frequentes na África e tempestades mais fortes na Ásia e na Oceania.

Nossas irmãs e irmãos estão clamando por ajuda, disse o Papa Francisco. Os mais vulneráveis entre nós estão sofrendo os piores efeitos da crise climática, apesar de ter pouco a ver com os gases de efeito estufa que retêm o calor, que os cientistas dizem estar causando o aquecimento global.

É hora do mundo passar por uma transição energética, “uma substituição progressiva, mas sem hesitações, dos combustíveis fósseis por fontes de energia limpa,” disse Papa Francisco.

Todas as pessoas e organizações podem liderar essa transição, desinvestindo em empresas de combustíveis fósseis, “as empresas que não cumprem os parâmetros da ecologia integral,” e investir em empresas que coloquem “no centro das suas atividades parâmetros como a sustentabilidade, a justiça social e a promoção do bem comum.”

O Papa Francisco elogiou as 190 organizações católicas e mais de 1.200 comunidades em todo o mundo que mostraram o caminho e “já assumiram a responsabilidade de trabalhar neste sentido.”

Saiba mais sobre como sua comunidade pode desinvestir em combustíveis fósseis

Esta transição justa para longe dos combustíveis fósseis deve ser “atenta aos impactos sobre os pobres, as populações locais e os que trabalham na produção de energia,” disse Papa Francisco.

“A nossa consciência diz-nos que não podemos ficar indiferentes ao sofrimento dos mais pobres, às crescentes desigualdades económicas e às injustiças sociais.”

As palavras do Papa Francisco ecoam as inovadoras diretrizes ambientais que o Vaticano divulgou em junho para ajudar a Igreja trazer a Laudato Si’ à vida no mundo todo.

As diretrizes sugerem que as instituições católicas “promovam critérios éticos, responsáveis e integrais para a tomada de decisões de investimento, tomando cuidado para não apoiar empresas que prejudiquem a ecologia humana ou social (por exemplo, através do aborto ou do comércio de armas), ou a ecologia ambiental (por exemplo, através do uso de combustíveis fósseis). ”

O bispo William Crean, presidente da Trócaire, a agência de desenvolvimento da Igreja Católica no exterior, disse que após a decisão da Conferência Episcopal Irlandesa de desinvestir, a escolha de desinvestir envia uma declaração profunda às empresas e ao mundo.

“Trata-se de aderir ao crescente movimento social, liderado em grande parte por uma nova geração em todo o mundo, clamando por um novo realinhamento de nossas políticas financeiras para salvaguardar o futuro deles. Faz muito sentido e é o mínimo que podemos oferecer às futuras gerações.”