Apresentação das Ordens Pastorais sobre as Pessoas Deslocadas pela Crise Climática

Março 30, 2021

Dra. Cecilia Dall’Oglio, diretora adjunta dos Programas Europeus do GCCM.

“Nossos irmãos e irmãs deslocados pelo clima correm o risco de encontrar nossas mãos ocupadas demais para sustentá-los!”, expressou a Dra. Cecilia Dall’Oglio, diretora adjunta dos Programas Europeus do GCCM.

O documento “Orientações Pastorais sobre as Pessoas Deslocadas pela Crise Climática” foi apresentado na Sala de Imprensa da Santa Sé, pela Seção de Migrantes e Refugiados, setor de Ecologia Integral do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral.

A coletiva de imprensa ocorreu na manhã desta terça-feira, 30 de março, e foi presidida por Matteo Bruni, diretor da Assessoria de Imprensa. O Prefeito do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral, Cardeal Michael Czerny; Padre Fabio Baggio, Subsecretário do Dicastério; Dra. Cecilia Dall’Oglio, Diretora Adjunta dos Programas Europeus do Movimento Católico Global pelo Clima; e o padre Joshtrom Kureethadam, coordenador do grupo de trabalho de Ecologia da Comissão Covid-19 do Vaticano.

O documento contém fatos, interpretações, políticas e propostas relevantes sobre o fenômeno das pessoas deslocadas devido à crise climática. É o resultado de ouvir atentamente as igrejas locais e congregações religiosas e organizações católicas que trabalham no terreno.

Seu objetivo é fornecer considerações que ajudem no planejamento pastoral e no desenvolvimento de programas de ajuda a estas pessoas deslocadas, como explicou o padre Baggio.

Por sua vez, a Dra. Cecilia Dall’Oglio questionou sobre “Exemplos de respostas concretas para o combate à crise climática? O primeiro é encontrar espaços de colaboração e ação estratégica, com a alegria de caminhar juntos, que é o espírito do Cântico de São Francisco”.

Ela ressaltou que é primordial “estarmos juntos, no Corpo do Senhor”, já que “a sinodalidade é a resposta à nossa oração frente ao rosto dos que sofrem e que buscamos amar, frente ao grito que ressoa em nosso coração, porque o desafio é grande”.

Em seguida, aludiu à importância de promover o diálogo e construir redes ecumênicas: “Definitivamente, é a experiência que os cristãos de todo o mundo vivem quando se unem na oração e ação pelo ‘Tempo da Criação’: celebramos isto todos os anos a partir de 1º de setembro, Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação, até 4 de outubro, festa de São Francisco de Assis”.

Dividido em dez pontos, o documento explica a relação entre a crise climática e os deslocamentos, e as especificidades desse fenômeno, para que todos “abram os olhos para a realidade do impacto que a crise climática tem na existência humana”. 

Nesse sentido, Dall’Oglio exclamou: “Nossos irmãos e irmãs deslocados pelo clima correm o risco de encontrar nossas mãos ocupadas demais para sustentá-los!”

E exortou a comunidade: “Desde os nossos países democráticos, temos que lutar sobretudo assumindo as nossas responsabilidades e fazendo a nossa parte pela justiça climática, pelos nossos irmãos e irmãs que já não têm nada”.

“Os jovens nos pedem uma mudança, que não nos limitemos a fazer bem o nosso pouco, mas que sejamos estratégicos para conseguirmos uma mudança”, completou a diretora adjunta dos Programas Europeus do GCCM.

Por sua vez, Sua Eminência, o Cardeal Michael Czerny SJ, afirmou: “Temos muito que aprender, mas acima de tudo queremos saber como responder às pessoas que são obrigadas a fugir devido à crise climática. As suas necessidades são imediatas e não podem esperar”.

Veja a conferência de imprensa completa aqui.

Durante a conferência foi lançada a nova página dedicada ao deslocamento climático, na seção do site de Migrantes e Refugiados. Você pode fazer o download aqui das Orientações Pastorais em 5 idiomas e formatos diferentes.