Comunicado de imprensa: Instituições católicas desenvistem em combustíveis fósseis

Novembro 15, 2020

Roma, embargado até 16 de novembro de 2020, 00.01 CET
Contato de comunicação: Reba Elliott, [email protected]

Instituições católicas desenvistem em combustíveis fósseis

Compromissos feitos de acordo com as orientações do Vaticano sobre investimentos éticos

Hoje, 47 instituições religiosas anunciam seu desinvestimento de combustíveis fósseis, se tornando o maior anúncio conjunto de desinvestimento entre líderes religiosos. Isso inclui instituições católicas, protestantes e judaicas de 21 países.

Entre as instituições católicas, estão incluídas a Comissão das Conferências Episcopais da União Europeia, Caritas Ásia, e a Associação dos Padres Católicos dos EUA. Confira aqui a lista completa das instituições participantes.

O compromisso com o desinvestimento em combustíveis fósseis anunciado hoje é o primeiro que foi feito após o lançamento do primeiro documento de diretrizes operacionais do Vaticano sobre o meio ambiente. Essas diretrizes, que foram emitidas conjuntamente por todos os dicastérios do Vaticano, incentivaram os católicos a evitar investimentos em empresas que “prejudiquem a ecologia humana ou social (por exemplo, através do aborto ou do comércio de armas), ou ecologia ambiental (por exemplo, através do uso de combustíveis fósseis).”

O compromisso dos católicos com a energia limpa faz parte da tradição da Doutrina Social Católica.

Neste mês, há cinquenta anos atrás, o Papa Paulo VI disse que “tudo está unido intimamente” no “desígnio amoroso do Criador,” e advertiu que corremos “o risco de acabar numa verdadeira catástrofe ecológica.” Em sua encíclica de 2015, Laudato Si’, o Papa Francisco nos lembrou que “tudo está interligado,” em “uma única e complexa crise sócio-ambiental,” e advertiu que “não dispomos ainda da cultura necessária para enfrentar esta crise.” 

O Papa Francisco convocou a conferência “Economia de Francisco”, programado para começar em 19 de novembro, que explora maneiras inovadoras que católicos estão desenvolvendo por uma economia sustentável, com a liderança dos jovens.

Até o momento, um total de quase 400 instituições religiosas já desinvestiram em combustíveis fósseis. A lista completa das instituições católicas que desinvestiram até hoje está aqui.

Pe. Manuel Enrique Barrios Prieto, Secretário-Geral da COMECE, afirmou que “A COMECE se junta ao movimento católico para desinvestir em combustíveis fósseis. Encorajamos outros a se juntarem a nós na tomada de medidas concretas para resolver a crise climática. Os compromissos com o acordo climático de Paris são importantes, e o Acordo Verde europeu é uma forma de fazê-lo. Resolver a crise climática protege a família humana dos perigos de um mundo em aquecimento, e uma ação decisiva é necessária agora mais do que nunca.”  

Inger Andersen, Diretor Executivo do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente e subsecretário-geral das Nações Unidas, disse: “O poder econômico das religiões, voltado para investimentos responsáveis e a economia verde, pode ser um grande impulsionador de mudanças positivas e uma inspiração para outros, à medida que reconstruímos melhor.”

 

Nota aos editores:

  • Um mapa infográfico de instituições comprometidas está aqui, aqui, aqui.
  • Um vídeo está disponível aqui

 

 

# # #