Refletindo sobre o Tempo da Criação, ‘um presente’

Outubro 9, 2020

Mons. Domenico Sorrentino, o bispo de Assis

Esta reflexão da Palavra é apresentada no Recurso Mensal da Laudato Si’ para o mês de outubro, que se encontra aqui. O documento é um recurso destinado a ajudar toda a rede do Movimento Católico Global pelo Clima.

A cada mês, apresentamos conteúdo de uma determinada região. Este mês, temos o prazer de apresentar a nossa rede da União Europeia. Os Recursos Mensais da Laudato Si’ anteriores se encontram aqui no site dos Círculos Laudato Si’.

Por Mons. Domenico Sorrentino
Bispo de Assis

“Eu quero cantar para o meu amigo seu canto de amor a respeito de sua vinha: meu amigo possuía uma vinha em um outeiro fértil . . .” (Isaiah 5, 1)

“Não somos Deus. A terra existe antes de nós e foi-nos dada.” (LS 67)

O Tempo da Criação é um tempo para fazer memória. É um tempo de recuperar nossa consciência de tudo o que somos, temos e tudo o que nos rodeia. É um presente.

Tudo vem de um amor eterno que é o ventre de todas as coisas. Não há nada no mundo que não tenha as marcas das mãos do Criador. Do nosso Criador, vem a gratidão, o louvor, a admiração e o amor. Finalmente, o dever de cuidar deriva de nosso Criador.

Não podemos acreditar que somos mestres e que fazemos com a criação o que queremos. Certamente podemos interagir com a criação, mas sempre de acordo com o “programa”, ou seja, o projeto original de Deus.

A primeira página da Palavra nos leva de volta a essa origem. “No princípio Deus criou o céu e a terra”. Nesse processo criativo surgiram todas as coisas. O ser humano está no topo, mas não é o mestre. Há uma familiaridade que nos liga ao cosmos e que, em última análise, está ligada à paternidade de Deus.

O Tempo da Criação é, portanto, antes de tudo, um tempo de oração, e logo um tempo de pensamento, discernimento e ação. As apostas são grandes.

Como dizia São Francisco, “Laudato Si’ mi’ Signore cum tucte le Tue creature.” (“Louvado sejas, meu Senhor, em todas as tuas criaturas.”)

Perguntas para reflexão

  1. Eu/nós alguma vez nos sentimos como donos da criação de Deus? De que forma?
  2. Como Deus está nos chamando para fazer parte da criação em vez de agir como donos?