O St. Kateri Center celebra a Laudato Si’

Abril 2, 2020

Foto do diácono Paul Kipfstuhl

O azevém anual que Margaret Lilley plantou na fazenda das Irmãs de São Francisco da Filadélfia era para ter morrido no inverno.

Mas, como mais um sinal da mudança climática, o inverno foi muito quente no sudoeste da Pennsylvania nos EUA para matar a cobertura vegetal.

Contudo, em maio, Lilley vai tirar o azevém dos 56 metros quadrados de terra para plantar um jardim que ajudará a fazenda a combater as mudanças climáticas e trazer de volta polinizadores vitais.

Margaret Lilley

Kat Hoenke

Esta terra em breve será um Saint Kateri Habitat

Saint Kateri Habitats ajuda a trazer os polinizadores de volta através de plantas nativas

Saint Kateri Habitats deve ter pelo menos uma expressão religiosa

Para celebrar a Semana Laudato Si’, Lilley, as irmãs, e o Saint Kateri Conservation Center vão plantar novos começos no Saint Kateri Habitat em Red Hill Farm em maio.

O habitat vai contar com uma variedade de plantas nativas da biodiversidade, como a serralha e a Zizia áurea, que vão apresentar alturas e cores diferentes e vão florescer em diferentes épocas do ano.

“Quanto mais biodiversidade, maior a capacidade de adaptação à mudança climática,” disse Kat Hoenke, voluntária diretora do programa do the Saint Kateri Conservation Center, uma organização sem fins lucrativos liderada por uma equipe de voluntários nos EUA.

As plantas vão hospedar um grupo igualmente diversificado de polinizadores, como abelhas, borboletas-monarca e borboletas rabo-de-andorinha e outros insetos. Os polinizadores desempenham um papel vital no ecossistema ao transferir grãos de pólen e fertilizar plantas, levando a nozes e frutas.

Mas os insetos foram ameaçados pelas mudanças climáticas, que trouxeram temperaturas mais quentes e encurtamento dos invernos em algumas partes do mundo.

“Três em cada quatro culturas em todo o mundo que produzem frutas ou sementes para uso humano como alimento dependem, pelo menos em parte, de polinizadores,” de acordo com “Why bees matter” [Por que as abelhas importam], um relatório lançado em 2018 pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura.

Os insetos tendem a se sair melhor com as plantas nativas porque alguns deles evoluíram com certas plantas. As lagartas da borboleta-monarca, por exemplo, comem apenas serralha.

“Se não podem botar seus ovos e se tornarem uma borboleta e depois polinizar, é apenas um fracasso,” Hoenke disse.

Ela procurou as irmãs, um grupo que inclui sua tia, com a esperança de trabalharem juntas.

A fazenda já usa práticas orgânicas, rotação de culturas e outros métodos de agricultura ecologicamente corretos, disse Lilley, gerente da fazenda. A adição de um habitat cheio de plantas nativas que recebeu o nome de um santo padroeiro da ecologia foi um “encaixe perfeito.”

A fazenda realiza eventos regulares e opera uma fazenda agrícola apoiada pela comunidade, que produz alimentos para cerca de 120 membros e as 45 irmãs que vivem no convento.

“É também um componente educacional, onde podemos ensinar o que são as plantas nativas, o que são os polinizadores e o que eles podem fazer pelo meio ambiente,” Lilley disse.

Saint Kateri Conversation Center tem 50 habitats nos EUA, disse Hoenke, e trabalha com organizações e famílias para converter suas porções de terra em habitats saudáveis em honra de Santa Kateri Tekakwitha, uma santa padroeira dos povos nativos e indígenas dos EUA, da ecologia e do meio ambiente.

Hoenke disse que muitas organizações e famílias não têm ideia do quanto o plantio de plantas nativas pode ajudar a criação e lembrar a todos o quanto todos estamos conectados.

“Acaba mudando a mentalidade das pessoas: ‘Você deve plantar estas para fazer parte do sistema’. Tudo isso faz parte da ecologia católica, e todos devemos trabalhar no sistema que Deus nos deu”, disse Hoenke, que estudou gestão ambiental em ciência e conservação de ecossistemas no seu mestrado.

As suas palavras ecoam as do Papa Francisco na Laudato Si’: “todas as criaturas estão interligadas, deve ser reconhecido com carinho e admiração o valor de cada uma, e todos nós, seres criados, precisamos uns dos outros.” (LS 42)

O Saint Kateri Conservation Center tem uma lista de exigências do que os habitats precisam ter, incluindo pelo menos uma expressão religiosa, para ter a certificação. Hoenke e suas colegas guiam gratuitamente todos os interessados pelo processo.

“Na verdade, estamos apenas tentando fazer com que as pessoas mudem a maneira como gerenciam sua paisagem e propriedade, e temos os recursos e o conhecimento para ajudá-los,” disse Hoenke.

Os grupos planejavam sediar um evento maior para o plantio do habitat da fazenda. Mas por causa do coronavírus, Lilley planeja plantar o jardim com um grupo menor durante a Semana Laudato Si’, 16 a 24 de maio.

“Mesmo que seja apenas um punhado de nós trabalhando nisso, seremos capazes de manter uma distância segura um do outro,” ela disse.

Nos anos seguintes, haverá muito tempo para toda a comunidade celebrar e passar um tempo no habitat.

“Ao longo dos anos, vai continuar melhorando,” disse Lilley. “Vai ser preenchido e ficará cada vez melhor, dando continuidade e fazendo parte da fazenda.”

Saint Kateri Habitats homenageia a criação

O azevém anual que Margaret Lilley plantou na fazenda das Irmãs de São Francisco da Filadélfia era para ter morrido no inverno.

Mas, como mais um sinal da mudança climática, o inverno foi muito quente no sudoeste da Pennsylvania nos EUA para matar a cobertura vegetal.

Contudo, em maio, Lilley vai tirar o azevém dos 56 metros quadrados de terra para plantar um jardim que ajudará a fazenda a combater as mudanças climáticas e trazer de volta polinizadores vitais.

Margaret Lilley

Para celebrar a Semana Laudato Si’, Lilley, as irmãs, e o Saint Kateri Conservation Center vão plantar novos começos no Saint Kateri Habitat em Red Hill Farm em maio.

O habitat vai contar com uma variedade de plantas nativas da biodiversidade, como a serralha e a Zizia áurea, que vão apresentar alturas e cores diferentes e vão florescer em diferentes épocas do ano.

“Quanto mais biodiversidade, maior a capacidade de adaptação à mudança climática,” disse Kat Hoenke, voluntária diretora do programa do the Saint Kateri Conservation Center, uma organização sem fins lucrativos liderada por uma equipe de voluntários nos EUA.

Kat Hoenke

As plantas vão hospedar um grupo igualmente diversificado de polinizadores, como abelhas, borboletas-monarca e borboletas rabo-de-andorinha e outros insetos. Os polinizadores desempenham um papel vital no ecossistema ao transferir grãos de pólen e fertilizar plantas, levando a nozes e frutas.

Mas os insetos foram ameaçados pelas mudanças climáticas, que trouxeram temperaturas mais quentes e encurtamento dos invernos em algumas partes do mundo.

“Três em cada quatro culturas em todo o mundo que produzem frutas ou sementes para uso humano como alimento dependem, pelo menos em parte, de polinizadores,” de acordo com “Why bees matter” [Por que as abelhas importam], um relatório lançado em 2018 pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura.

Esta terra em breve será um Saint Kateri Habitat

Os insetos tendem a se sair melhor com as plantas nativas porque alguns deles evoluíram com certas plantas. As lagartas da borboleta-monarca, por exemplo, comem apenas serralha.

“Se não podem botar seus ovos e se tornarem uma borboleta e depois polinizar, é apenas um fracasso,” Hoenke disse.

Ela procurou as irmãs, um grupo que inclui sua tia, com a esperança de trabalharem juntas.

A fazenda já usa práticas orgânicas, rotação de culturas e outros métodos de agricultura ecologicamente corretos, disse Lilley, gerente da fazenda. A adição de um habitat cheio de plantas nativas que recebeu o nome de um santo padroeiro da ecologia foi um “encaixe perfeito.”

A fazenda realiza eventos regulares e opera uma fazenda agrícola apoiada pela comunidade, que produz alimentos para cerca de 120 membros e as 45 irmãs que vivem no convento.

“É também um componente educacional, onde podemos ensinar o que são as plantas nativas, o que são os polinizadores e o que eles podem fazer pelo meio ambiente,” Lilley disse.

Saint Kateri Conversation Center tem 50 habitats nos EUA, disse Hoenke, e trabalha com organizações e famílias para converter suas porções de terra em habitats saudáveis em honra de Santa Kateri Tekakwitha, uma santa padroeira dos povos nativos e indígenas dos EUA, da ecologia e do meio ambiente.

Saint Kateri Habitats ajuda a trazer os polinizadores de volta através de plantas nativas

Hoenke disse que muitas organizações e famílias não têm ideia do quanto o plantio de plantas nativas pode ajudar a criação e lembrar a todos o quanto todos estamos conectados.

“Acaba mudando a mentalidade das pessoas: ‘Você deve plantar estas para fazer parte do sistema’. Tudo isso faz parte da ecologia católica, e todos devemos trabalhar no sistema que Deus nos deu”, disse Hoenke, que estudou gestão ambiental em ciência e conservação de ecossistemas no seu mestrado.

As suas palavras ecoam as do Papa Francisco na Laudato Si’: “todas as criaturas estão interligadas, deve ser reconhecido com carinho e admiração o valor de cada uma, e todos nós, seres criados, precisamos uns dos outros.” (LS 42)

Saint Kateri Habitats deve ter pelo menos uma expressão religiosa

O Saint Kateri Conservation Center tem uma lista de exigências do que os habitats precisam ter, incluindo pelo menos uma expressão religiosa, para ter a certificação. Hoenke e suas colegas guiam gratuitamente todos os interessados pelo processo.

“Na verdade, estamos apenas tentando fazer com que as pessoas mudem a maneira como gerenciam sua paisagem e propriedade, e temos os recursos e o conhecimento para ajudá-los,” disse Hoenke.

Os grupos planejavam sediar um evento maior para o plantio do habitat da fazenda. Mas por causa do coronavírus, Lilley planeja plantar o jardim com um grupo menor durante a Semana Laudato Si’, 16 a 24 de maio.

“Mesmo que seja apenas um punhado de nós trabalhando nisso, seremos capazes de manter uma distância segura um do outro,” ela disse.

Nos anos seguintes, haverá muito tempo para toda a comunidade celebrar e passar um tempo no habitat.

“Ao longo dos anos, vai continuar melhorando,” disse Lilley. “Vai ser preenchido e ficará cada vez melhor, dando continuidade e fazendo parte da fazenda.”