Top 10 destaques do Movimento Católico Global pelo Clima em 2020

Dezembro 16, 2020

Para muitas pessoas, 2020 será um ano para esquecer. Há anos o mundo não via tanta dor e destruição global.

Mas durante esses tempos difíceis, algumas pessoas também encontraram muitos motivos para comemorar. O movimento celebrou seu quinto aniversário em janeiro e, em maio, centenas de milhares de católicos se uniram para celebrar o quinto aniversário da Encíclica Laudato Si’.

Durante o ano inteiro, os católicos nos seis continentes encontraram maneiras de colocar sua fé em ação e responder ao apelo do Papa Francisco na Laudato Si’ para se unirem como comunidades. “Aos problemas sociais responde-se, não com a mera soma de bens individuais, mas com redes comunitárias.” (LS 219)

Em um ano dominado por crises contínuas, incluindo o agravamento da emergência climática, a pandemia da COVID-19, as migrações em massa e a perda de biodiversidade, os católicos se reuniram repetidamente para discernir e cuidar da nossa casa comum.

Ao lembrarmos do ano de 2020, os católicos do mundo todo devem extrair força de nossa unidade e deixá-la motivar nossos esforços para 2021 e além. “O Senhor está comigo, nada temo; o que pode um homem contra mim?” (Salmo 118,6)

Estes são os 10 principais destaques deste movimento em 2020, com cada destaque representando milhares de eventos e ações realizadas.

1. O Papa Francisco guia o caminho

Em fevereiro, o Papa Francisco acolheu com alegria a diretoria e líderes do Movimento Católico Global pelo Clima (foto abaixo), para marcar o 5º aniversário do movimento. O GCCM sentiu-se extremamente grato por ter esta audiência privada, que também contou com a presença do Cardeal Luis Antonio Tagle, um amigo de longa data e membro do Conselho Consultivo do GCCM.

Diante do quinto aniversário da Laudato Si’, o Papa Francisco chamou a todos para participar da Semana Laudato Si’, que foi realizada nos dias 16 a 24 de maio.

Ele também citou a comemoração global durante o Regina Coeli de 17 de maio e 24 de maio, e o Papa Francisco compartilhou mensagens inspiradoras da Laudato Si’ em suas redes sociais.

Em setembro e outubro, o Papa Francisco liderou o Tempo da Criação ecumênico, de modo a inspirar milhões de católicos ao redor do mundo.

Ele começou esse tempo pelo segundo ano consecutivo com uma mensagem papal profética para celebrar as “comunidades de fé” que estão “se unindo para criar um mundo mais justo, pacífico e sustentável.”

No último dia do Tempo da Criação, Papa Francisco agradeceu aos cristãos de todo o mundo que passaram um tempo durante esse tempo cuidando da criação de Deus. Em particular, ele destacou o trabalho das centenas de organizações e milhares de comunidades que compõem o Movimento Católico Global pelo Clima.

2. Milhares celebraram a Semana Laudato Si’

Em meio a uma pandemia que tem afetado todo o  mundo, os católicos dos seis continentes superaram obstáculos inimagináveis para rezar e refletir e agir para construir um futuro mais justo e sustentável.

Conferências online conduzidas por lideranças globais, incluindo o Cardeal Peter Turkson e a arquiteta do acordo climático de Paris Christiana Figueres, marcaram a comemoração.

Centenas de ações lideradas pela comunidade no mundo todo demonstraram como os católicos podem realmente superar qualquer dificuldade para cuidar de nossa casa comum e inspirar o resto do mundo.

Particularmente inspirador foi o exemplo da Diocese de Bérgamo, Itália.

Na época, Bérgamo era uma das cidades mais afetadas pela pandemia do coronavírus. Mas ainda assim a diocese convidou seus membros para refletir sobre a Laudato Si’ durante o período de quarentena por meio de vídeos online, enviando uma mensagem de esperança a todos que sofriam com a pandemia. Leia mais sobre a Semana Laudato Si’ 2020 aqui.

3. Milhares fazem o treinamento para guiar suas comunidades

Alice Kemunto de Nairobi, Quênia

Michael Downs da Califórnia, EUA

Dircia Belo do Timor-Leste

Elas vieram de seis continentes diferentes e representaram todas as idades. Mas as mais de 4.000 lideranças que se tornaram Animadores/as Laudato Si’ em 2020 tinham um fator importante em comum: estavam prontos para dar vida à Laudato Si’ em suas comunidades.

Animadores/as Laudato Si’ são lideranças para a ação católica contra a crise socioambiental que guiam suas comunidades para cuidar da nossa casa comum.

Durante o treinamento, eles/as se conectaram com centenas de pessoas com ideias semelhantes do mundo todo e estudaram as causas profundas da crise climática e os conceitos-chave da Laudato Si’.

Para finalizar o treinamento, os/as Animadores/as colocaram a teoria na prática com seus projetos finais. Dircia Belo em Timor-Leste compartilhou a mensagem de esperança da Laudato Si’ e inspirou centenas em seu país a aderir ao programa. Germán Lucero e Carolina Campillay plantaram um jardim em uma penitenciária feminina na Argentina.

Na Espanha, Enélida Hernández trabalhou com seus colegas professores para implementar a Laudato Si’ em todo o currículo da escola. Leia mais histórias de Animadores/as Laudato Si’ aqui.

4. Instituições católicas lideram ano recorde de desinvestimento

Este ano apresentou os dois maiores desinvestimentos conjuntos de combustíveis fósseis, à medida que mais e mais instituições colocam sua fé em ação. Ao todo, em 2020, 89 instituições de 27 países se comprometeram a desinvestir nos combustíveis fósseis.

No cenário global, em junho, o Vaticano publicou seu primeiro conjunto de diretrizes ambientais abrangentes.

Pela primeira vez, o Vaticano como um todo endossou a campanha de desinvestimento em combustíveis fósseis. O Vaticano recomendou que as instituições católicas evitem investir em empresas que “prejudiquem a ecologia humana ou social (por exemplo, através do aborto ou do comércio de armas) ou a ecologia ambiental (por exemplo, através dos combustíveis fósseis)”.

Em novembro, o Papa Francisco manifestou seu apoio ao movimento que diz às empresas de combustíveis fósseis para manter os combustíveis fósseis no solo. Durante a palestra TED Countdown, Francisco disse que todas as pessoas e organizações podem liderar uma transição de energia desinvestindo das “empresas que não cumprem os parâmetros da ecologia integral,” e investindo nas empresas que valorizam a sustentabilidade e a justiça social.

5. A família cristã global se une pelo Tempo da Criação

Em meio às crises que abalaram nosso mundo, a família cristã global foi despertada para a necessidade urgente de curar nossas relações com a criação e uns com os outros durante o Tempo da Criação ecumênico.

De 1º de setembro a 4 de outubro, os cristãos se reuniram para um momento de restauração e esperança, um jubileu por nossa Terra, e descobriram maneiras radicalmente novas de viver com a criação, unindo-se para rezar e agir pela nossa casa comum.

Milhares de cristãos e instituições participaram de mais de 1.300 eventos, incluindo momentos de oração ao ar livre e online, projetos de reflorestamento e plantação de jardins ao ar livre.

No meio desse período, o Papa Francisco exortou todas as pessoas a praticarem a contemplação para ajudá-las a cuidar melhor de nossa casa comum. Leia mais sobre o Tempo da Criação 2020 aqui.

Gerente de Programa do GCCM na África, Ir. Benedict Ayodi, ajuda a liderar um esforço de reflorestamento no Quênia.

6. Católicos/as participam da campanha ‘Estou com o Papa Francisco’, e se manifestam por uma ‘transição justa’

Enquanto governos no mundo inteiro consideravam pacotes de recuperação econômica, o Papa Francisco lançou uma intenção de oração que animou milhares de católicos/as e os/as motivou a participar da campanha “Estou com o Papa Francisco.”

Sua Santidade rezou para que o mundo abrace a “partilha”, não o “saque”, de seus recursos, e que as pessoas tomem medidas para proteger os dons de Deus “hoje, não amanhã, hoje.”

Ao ouvir sua intenção de oração, milhares de católicos/as assinaram uma petição declarando que concordam: os pacotes de recuperação econômica da pandemia da COVID-19 devem abraçar a partilha, não o saque, dos recursos do mundo. Leia mais sobre como da campanha “Estou com o Papa Francisco” aqui.

Os apelos dos/as católicos/as por uma “transição justa” longe dos combustíveis fósseis também ganharam mais energia em 2020. O tema foi uma mensagem-chave do Tempo da Criação.

Milhares de católicos participaram de cinco conferências online que apresentaram conselhos e comentários dos principais especialistas regionais.

As discussões destacaram a necessidade do mundo fazer uma transição rápida dos combustíveis fósseis e abraçar uma economia de energia limpa que ajude o mundo a evitar os piores efeitos da crise da biodiversidade e da emergência climática.

Essa transição deve estar especialmente “atenta ao impacto sobre os pobres, as populações locais, bem como sobre aqueles que trabalham nos setores de produção de energia”, Papa Francisco disse em outubro.

7. Jovens mostram o caminho

“Os jovens exigem de nós uma mudança,” o Papa Francisco escreveu em 2015 (Laudato Si’ 13). Mas em 2020, os/as jovens fizeram muito mais do que exigir mudanças; eles/as lideraram o caminho.

Dezenove jovens de oito países iniciaram o Tempo da Criação com um animado momento de oração ecumênico, estabelecendo um exemplo de como a família cristã global pode se unir durante esse período. Mais tarde, na celebração ecumênica, seus pares conduziram uma conferência online que apresentou histórias de sucesso e destacou a necessidade da ação climática.

Jovens e membros da Geração Laudato Si’ também se adaptaram à pandemia e se manifestaram por meio de greves climáticas online ao longo do ano, incluindo em 25 de setembro, o Dia Global de Ação Climática.

Seus esforços tiveram o apoio de grandes líderes da Igreja Católica, incluindo o Cardeal Jean-Claude Hollerich, que elogiou a “geração que assume a responsabilidade pelo seu futuro”.

8. Número crescente de Círculos Laudato Si’ estimulam conversões ecológicas

Citando o Papa Bento XVI, o Papa Francisco escreveu, “os desertos exteriores se multiplicam no mundo, porque os desertos interiores se tornaram tão amplos.

Por esta razão, o Papa Francisco continua, “a crise ecológica é um apelo a uma profunda conversão interior.” (LS 217)

Os Círculos Laudato Si’ abordam a necessidade de todos nós passarmos por uma conversão ecológica. Círculos são pequenos grupos que se reúnem regularmente para aprofundar seu relacionamento com Deus como Criador e com toda a criação.

Em 2020, cerca de 300 novos Círculos foram criados, elevando o total para mais de 500 Círculos em todo o mundo que estão vivendo a mensagem da Laudato Si’ a nível local.

Esse crescimento, graças ao Espírito Santo, representa milhares de pessoas experimentando uma conversão ecológica, “que comporta deixar emergir, nas relações com o mundo que os rodeia, todas as consequências do encontro com Jesus.” (LS 217) Clique aqui para saber mais sobre os Círculos Laudato Si’.

9. Ouvindo a música, o grito e o convite da criação

Católicos/as e o resto do mundo passaram grande parte deste ano em alguma forma de isolamento, ficando em casa ou distanciando-se socialmente para retardar a disseminação da COVID-19.

Mas o Espírito Santo ainda uniu os/as católicos/as ao longo do ano. O GCCM realizou cinco grandes Momentos Globais de Oração Laudato Si’ que uniu este movimento em um momento em que todos nós estávamos clamando por mais conexão.

De julho a dezembro, esse movimento se reuniu para ouvir a música, o grito e o convite da criação e se conectar por meio de discussões em pequenos grupos.

Um continente foi apresentado a cada mês, e a rotação de anfitriões deu aos participantes a chance de aprender mais sobre aquela parte do mundo. Inscreva-se aqui para os momentos de oração de 2021.

Limitados por causa da pandemia da COVID-19, os/as católicos/as ainda encontraram maneiras criativas de se conectar, incluindo durante as chamadas no Zoom dos/as Animadores/as Laudato Si’.

Sete retiros Laudato Si’ online também foram realizados este ano, permitindo que milhares de católicos/as crescessem em sua fé e se conectassem mais profundamente com a criação e nosso Criador.

10. A consolidação e o crescimento contínuo do GCCM

Graças ao Espírito Santo trabalhando em todo esse movimento, a Diretoria, o Comitê Diretivo e a Secretaria do GCCM impulsionaram o GCCM em 2020.

Seu trabalho recentemente tem se concentrado em garantir que o GCCM permaneça fortemente alinhado com seus valores, incluindo estar fundamentado na fé católica e impulsionado pela esperança, e ajudando toda a rede GCCM a entender melhor a história do movimento, identidade e estruturas de governança (mais detalhes a serem anunciados no início de 2021).

Em fevereiro, pouco antes da pandemia da COVID-19 fechar grande parte do mundo, o Comitê Diretivo do GCCM teve o privilégio de se reunir com líderes de alto nível do Vaticano, fortalecendo ainda mais a abençoada e vital parceria da organização com o Vaticano.

A Diretoria também passou por uma transição significativa, com a transição da presidência de Amy Woolam Echeverria para Lorna Gold (anteriormente vice-presidente, atualmente presidente interina).

Estamos todos imensamente gratos pela tremenda liderança de Amy durante os últimos seis anos de nascimento do GCCM, mais bem ilustrado neste incrível blog sobre a audiência com o Papa Francisco, e estamos extremamente entusiasmados com os próximos passos da jornada com Lorna.

O Secretariado do GCCM também continuou crescendo em 2020! Recebemos novos membros da equipe no Quênia, EUA, Irlanda e Equador.

Trabalhando em comunhão com nosso Deus, com os bispos, pastores e leigos/as que são a face desse movimento, o GCCM desafiou o mundo a agir mais rápido e defender os mais vulneráveis entre nós, à medida que a crise climática se agrava ao redor do globo.

O próximo ano, 2021, será de grande oportunidade e potencial, e estamos ansiosos para continuar a caminhar com você nesta jornada profética e cheia do Espírito. Leia mais sobre os planos de 2021 aqui.