Top 5 destaques do Tempo da Criação 2020

Outubro 9, 2020

Mais de 1.300 eventos, como o acima mencionado no início de setembro em Nairóbi, foram realizados durante o Tempo da Criação ecumênico.

Em meio às crises que abalaram nosso mundo, a família cristã global foi despertada para a necessidade urgente de curar nossas relações com a criação e uns com os outros durante o Tempo da Criação ecumênico.

De 1 de setembro a 4 de outubro, milhares de cristãos em seis continentes se uniram para um tempo de restauração e esperança, um jubileu pela nossa Terra, e descobriram formas radicalmente novas de viver com a criação.

Mais do que nunca, a família cristã global se uniu para rezar e agir pela nossa casa comum.

Milhares de pessoas e comunidades participaram de eventos vivificantes, iluminando o caminho para nossos irmãos e irmãs mais vulneráveis, que buscam esperança em meio a uma pandemia e ao agravamento da crise climática, entre outras crises que afetam nosso mundo.

ASSISTA: A família cristã global se une pelo Tempo da Criação

Ao longo da celebração de um mês, os sinais de tais crises estavam ao nosso redor. Os incêndios agravados pela crise climática assolaram a América do Norte, destruindo comunidades inteiras e deixando famílias de luto por entes queridos perdidos, e os fogos no Brasil atingiram vários biomas, como a Amazônia, o Pantanal e o Cerrado.

No Extremo Norte, uma pesquisa recente comprovou o rápido desmoronamento de duas geleiras cruciais que, se derretidas, podem elevar o nível global do mar em 1,2 metros.

Oleoduto de Petróleo bruto da África Oriental. Foto da OxFam.

Em Uganda, ativistas lutando por um futuro mais limpo e solidário contra o proposto Oleoduto de Petróleo Bruto da África Oriental (EACOP) foram presos por planejar uma manifestação pacífica, e no Peru, o filho de um líder ambiental foi morto por protestar contra a mineração ilegal e invasões de terra.

Mas em meio a tudo, incluindo a pandemia COVID-19, a família cristã global se comprometeu a trabalhar para um amanhã melhor e cuidar de nossa casa comum como nunca antes, desde que o Tempo da Criação começou a ser celebrado em 2003.

Aqui estão os cinco principais destaques do Tempo da Criação 2020.

Liderança inspiradora do Papa Francisco

Como tem acontecido ao longo de seu papado de sete anos, o Papa Francisco abriu o caminho.

Em 1º de setembro, Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação, o Papa Francisco iniciou esse tempo pelo segundo ano consecutivo com uma mensagem poderosa que encorajou os católicos a agir.

Ele elogiou e celebrou as “comunidades de fé” que estão “se unindo para criar um mundo mais justo, pacífico e sustentável”.

Ele expressou alegria pelo fato de que o “Tempo da Criação está se tornando uma iniciativa verdadeiramente ecumênica” e compartilhou a esperança de que possamos “continuar a crescer na consciência de que todos vivemos em uma casa comum como membros de uma única família”.

No meio desse tempo, o Papa Francisco encorajou todas as pessoas a se conectarem com a criação por meio da contemplação e destacou os perigos contínuos da emergência climática, incluindo o derretimento das geleiras do Ártico.

“Precisamos de estar em silêncio, precisamos de ouvir, e precisamos de contemplar,” ele disse. “Sem contemplação, é fácil cair num antropocentrismo desequilibrado e soberbo, o “Eu” no centro de tudo.”

Ao longo do mês, o Papa Francisco também encorajou seus seguidores nas redes sociais a se juntarem a ele em oração e ação pela nossa casa comum. Mais de vinte vezes ele tuitou mensagens sobre esse tempo e a ecologia para seus mais de 18 milhões de seguidores.

No último dia desse tempo, festa de São Francisco de Assis, padroeiro da ecologia, o Papa Francisco agradeceu os cristãos ao redor do mundo que dedicaram um tempo para cuidar da criação de Deus.

De modo especial, ele destacou o trabalho das centenas de organizações e milhares de comunidades que compõem o Movimento Católico Global pelo Clima.

Católicos em todo os lados agindo

No mundo inteiro, o Espírito Santo moveu milhares de católicos a rezar e agir. Todas as semanas, milhares de pessoas de todo o mundo se reuniram para conferências online, durante as quais especialistas compartilharam como todos nós podemos defender uma transição justa dos combustíveis fósseis em todo o mundo.

ASSISTA: Uma Transição Justa para a Ásia-Pacífico e a Oceania

Localmente, mais de 1.300 eventos presenciais e online foram realizados em seis continentes. Para compartilhar apenas alguns exemplos:

Comemorando o lançamento do Jardim Maria Madalena no Sudão do Sul.

  • 19 jovens do Reuno Unido, África do Sul, Índia, Quênia, Filipinas, Cingapura, Palestina e Equador começaram o tempo com um animado momento de oração ecumênico que apresentou canções e leituras das escrituras que ajudaram a colocar todos os participantes na mentalidade de celebrar a criação de Deus.
  • Na Cidade do Cabo, jovens cristãos criaram um vídeo atraente que encorajou todos a agirem. Entre suas sugestões cheias de vida: transformar o lixo em tesouro, recolher o lixo ou criar uma horta.
  • Durante um momento de oração ecumênico online organizado pela Arquidiocese de Chicago, os cristãos refletiram sobre o tema deste ano: “Jubileu pela Terra: Novos Ritmos, Nova Esperança”.
  • No Sudão do Sul, um grupo de católicos e pe. Tim Galvin lançaram o Jardim Maria Madalena, onde plantaram principalmente árvores frutíferas para ajudar a segurança alimentar na região.
  • Na Itália, a Diocese de Assis conduziu um momento de oração ecumênico ao ar livre em Piandarca, onde São Francisco costumava pregar aos pássaros. Participaram católicos, anglicanos, membros da Igreja Ortodoxa Romena, bem como autoridades eleitas.
  • Em toda a América Latina, 18 artistas da Argentina, Chile, Paraguai, Colômbia, El Salvador, México, Venezuela e Equador se uniram para criar 34 desenhos sobre a Laudato Si’.
  • A noroeste de Nairóbi, o GCCM África liderou um momento de oração ecumênico e foi acompanhado por anglicanos, comunidades que vivem perto da floresta e funcionários do governo. Após o serviço de oração, mais de 300 árvores foram plantadas na Floresta Kakamega, onde as árvores foram cortadas e a floresta deixada nua.

ASSISTA: Os participantes do plantio de árvores celebram com a dança tradicional Isukuti, praticada na comunidade Luhya do oeste do Quênia.

Em particular, o Tempo da Criação deste ano viu mais e mais jovens, como os jovens cristãos na Cidade do Cabo mencionados acima, se unindo pela criação e chamando outros a rezar e agir pela nossa casa comum.

“Convocamos os membros do Corpo de Cristo a se unirem enquanto buscamos reciclar, recusar, reutilizar e reaproveitar, transformando sujeira e resíduos em diamantes”, disse Dominique Yon, um membro católico dos jovens cristãos na Cidade do Cabo que encorajou outros a estar #JuntosPelaCriação

Jovens de todo o mundo também deram o exemplo, participando de mobilizações climáticas, tanto online quanto pessoalmente, e de atividades que geram esperança, como limpeza de rios e plantio de árvores, mostrando às suas comunidades que agora é a hora de se posicionar pela criação.

Instituições católicas mostram o caminho

Mais de 240 parcerias católicas lideraram suas comunidades em ações cheias do Espírito Santo. Algumas parcerias, como a Federação das Conferências Episcopais da Ásia (FABC), produziram recursos que ajudaram suas redes a se aproximarem do nosso Criador durante este tempo especial do ano.

A FABC publicou um e-book sobre o valor vital da água e incentivou sua rede a tomar medidas para proteger o recurso vital, and the Catholic Climate Covenant sought to bring about ecological conversions through its “Finding God In The Wilderness” resource.

Outras parcerias patrocinaram eventos presenciais que igualmente buscaram trazer mudanças espirituais significativas e duradouras entre os milhares de participantes.

Uma família cristã, unida

Os cristãos que participaram do Tempo da Criação representaram várias denominações, mas eles estavam focados em um objetivo: cuidar da nossa casa comum.

A Rev. Dra. Rachel Mash comparou a família cristã global se reunindo pelo Tempo da Criação como afluentes de água independentes de vários tamanhos fluindo para um grande e poderoso rio, como o Amazonas.

“Cada tributário tem um nome. Mas, uma vez que um afluente tem um nome que deságua no rio, ele perde o nome. . . é isso que dá força ao rio”, disse ela.

Durante o tempo, as denominações cristãs perdem seus nomes e se tornam uma família cristã global “Porque estamos fluindo para o grande rio que é o Tempo da Criação”, disse ela.

“Nós nos tornamos um rio que pode realmente começar a desgastar montanhas e fazer grandes, grandes mudanças.”

Os cristãos cuidam da criação na Cidade do Cabo.

O Rev. Dr. Chad Rimmer atua como Executivo do Programa de Teologia e Prática Luterana na Federação Luterana Mundial. Ele destacou o poder e a importância dos 2,4 bilhões de cristãos do mundo se unindo para cuidar da criação ao mesmo tempo.

“Às vezes celebramos o Natal e a Páscoa em momentos diferentes, mas durante o Tempo da Criação, o Corpo de Cristo está em solidariedade litúrgica. Esta é uma experiência poderosa de unidade visível ”, disse ele.

Os cristãos participam das atividades do Tempo da Criação em Moçambique.

A família cristã global se reúne para defender outras questões, como migração, justiça de gênero e igualdade econômica, observou Rimmer. Mas as várias denominações cristãs têm diferenças inerentes em torno dos detalhes desse trabalho de defesa de direitos.

Esse não é o caso com o chamado de cuidar da criação e defender a justiça climática, disse ele: a família cristã global está corajosamente unida para buscar justiça para os mais vulneráveis entre nós.

“Sabemos que o tipo de conversão ecológica necessária para superar o antropocentrismo que nos leva a pecar contra a criação e as gerações futuras começa com o Evangelho nos chamando de volta a esta unidade cósmica fundamental, como criação que começa e se sustenta no amor do Criador. Por essa razão, o chamado do Tempo da Criação é verdadeiramente uma iniciativa ecumênica em todos os sentidos da palavra,” ele disse.

Apoio ao Papa Francisco

Enquanto os governos do mundo inteiro pesavam os pacotes de recuperação econômica, o Papa Francisco mostrou liderança profética com sua profunda intenção de oração às vésperas do Tempo da Criação.

Ele rezou para que o mundo abrace a “partilha”, não o “saque”, e que todas as pessoas ajam para proteger os dons de Deus “hoje, não amanhã, hoje”.

Desde sua intenção de oração, milhares de católicos mostraram ao mundo que estão com o Papa Francisco e concordam: um pacote de recuperação econômica da pandemia da COVID-19 deve abraçar a partilha, não o saque, dos recursos do mundo.

Sua liderança na emergência climática e na pandemia da COVID-19 tem sido incomparável. Mas ele não pode fazer isso sozinho.

É hora da comunidade católica global apoiar sua mensagem. Clique aqui para se juntar aos milhares de católicos que estão apoiando o Papa Francisco: assine a Petição Católicas por uma ação justa sobre a COVID-19 e a emergência climática.

Gratidão

Durante o Tempo da Criação e ao longo deste Ano do Aniversário da Laudato Si’, o Espírito Santo uniu os católicos do mundo inteiro para rezar e agir pela criação de Deus em todo o mundo.

Muito trabalho ainda precisa ser feito para deter a crise ecológica e a emergência climática, mas o compromisso contínuo e o surgimento de católicos em todo o mundo se unindo para cuidar de nossa casa comum inspira esperança em todos nós.

A família católica global segue extremamente grata a Deus, nosso Criador e a Jesus Cristo.